Você acredita em Deus baseado em quê?

Imagem

Professor: Você é cristão, filho?

Aluno: Sim, senhor.

Professor: Então, você acredita em Deus?

Aluno: Absolutamente, senhor.

Professor: Deus é bom?

Aluno: Claro!

Professor: Deus é todo poderoso?

Aluno: Sim.

Professor: Meu irmão morreu de câncer, embora ele orasse a Deus para curá-lo. A maioria de nós tentaria ajudar outras pessoas que estão doentes. Mas Deus não o fez. Como isso é um bom Deus, então? Hmm?

(Estudante ficou em silêncio.)

Professor: Você não pode responder, não é? Vamos começar de novo, meu rapaz. Deus é bom?

Aluno: Sim.

Professor: E Satanás é bom?

Aluno: Não.

Professor: De onde é que Satanás vem?

Aluno: A partir de… DEUS.

Professor: Isso mesmo. Diga-me, filho, existe o mal neste mundo?

Aluno: Sim.

Professor: O mal está em toda parte, não é? E Deus fez tudo. Correto?

Aluno: Sim.

Professor: Então, quem criou o mal?

(Estudante não respondeu.)

Professor: Existe doença? Imoralidade? Ódio? Feiura? Todas estas coisas terríveis existem no mundo, não é?

Aluno: Sim, senhor.

Professor: Então, quem as criou?

(Estudante não tinha resposta.)

Professor: A ciência diz que você tem 5 sentidos que usa para identificar e observar o mundo ao seu redor. Diga-me, filho, você já viu DEUS?

Aluno: Não, senhor.

Professor: Diga-nos se você já ouviu o seu Deus?

Aluno: Não, senhor.

Professor: Você já sentiu o seu Deus, provou o seu DEUS, cheirou o seu Deus? Alguma vez, você já teve qualquer percepção sensorial de DEUS?

Aluno: Não, senhor. Desculpe-me, mas eu não tive.

Professor: Mas você ainda acredita nEle?

Aluno: Sim.

Professor: De acordo com o protocolo empírico, testável, demonstrável da Ciência, o seu Deus não existe. O que você acha disso, filho?

Aluno: Nada. Eu só tenho a minha fé.

Professor: Sim, fé. É com isso que a Ciência tem problema.

Aluno: Professor, existe tal coisa como o calor?

Professor: Sim.

Aluno: E existe tal coisa como o frio?

Professor: Sim.

Aluno: Não, senhor. Não há.

(O auditório ficou muito quieto com essa sucessão de eventos.)

Aluno: Professor, o senhor pode ter muito calor, e ainda mais calor, superaquecimento, calor branco, pouco calor ou nenhum calor. Mas não temos nada que se chame frio. Podemos atingir -236 graus abaixo de zero, que não é calor, mas não podemos ir mais longe que isso. O frio não existe. Frio é apenas uma palavra que usamos para descrever a ausência de calor. Não podemos medir o frio. O calor é energia. Frio não é o oposto de calor, senhor, apenas a ausência dele.

(Havia silêncio no auditório.)

Estudante: E sobre a escuridão, Professor? Existe tal coisa como a escuridão?

Professor: Sim. O que é noite, se não existe a escuridão?

Estudante: O senhor está errado novamente. A escuridão é a ausência de algo. Você pode ter pouca luz, a luz normal, luz brilhante, luz piscante. Mas se você não tem luz, constantemente, você não tem nada, e isso é chamado de escuridão, não é? Na realidade, não é. Se isso fosse correto, você seria capaz de fazer mais escura a escuridão, não seria?

Professor: Então, a qual ponto você quer chegar, rapaz?

Aluno: Senhor, o meu ponto é que a sua premissa filosófica é falha.

Professor: Falha? Você pode explicar como?

Aluno: Professor, o senhor está trabalhando na premissa da dualidade. O senhor argumenta que há vida e há morte, um Deus bom e um Deus mau. O senhor está vendo o conceito de Deus como algo finito, algo que podemos medir. Senhor, a Ciência não pode explicar um pensamento. Ela usa a eletricidade e o magnetismo, mas nunca os viu, muito menos, completamente, compreendeu qualquer um deles. Ver a morte como o oposto da vida é ser ignorante do fato de que a morte não pode existir como algo substantivo.
A morte não é o oposto da vida: apenas a ausência dela. Agora diga-me, Professor, você ensina a seus alunos que eles evoluíram de um macaco?

Professor: Se você está se referindo ao processo evolutivo natural, sim, claro, eu faço.

Estudante: Você já observou a evolução com seus próprios olhos, senhor?

(O professor balançou a cabeça com um sorriso, começando a perceber para onde o argumento estava indo.)

Estudante: Como ninguém jamais observou o processo de evolução em trabalho e não pode sequer provar que este processo é um empreendimento em curso. Você não está ensinando a sua opinião, senhor? Você não é um cientista, mas um pregador?

(A classe estava em alvoroço.)

Aluno: Existe alguém na classe que já viu o cérebro do professor?

(A classe explodiu em gargalhadas.)

Aluno: Existe alguém aqui que já ouviu o cérebro do professor, sentiu, tocou ou cheirou? Ninguém parece ter feito isso. Assim, de acordo com as regras estabelecidas de protocolos empíricos, estáveis e comprovados, a Ciência diz que você não tem cérebro, senhor. Com todo o respeito, senhor, como confiar em suas palestras?

(A sala ficou em silêncio. O Professor olhou para o aluno, com o rosto insondável.)

Professor: Eu acho que você vai ter que tomá-las pela fé, filho.

Aluno: É isso, senhor … Exatamente! O elo entre o homem e Deus é fé. Isso é tudo o que mantém as coisas vivas e em movimento.

(Autor Desconhecido)

Que voz você tem ouvido?

Todos nós ouvimos vozes. Sim, ouvimos. Seja ela a do pai, da mãe, dos amigos, da pessoa que mais apreciamos, enfim, todos ouvimos alguma voz que nos influencia.

A questão é: à voz de quem você tem dado ouvidos?

Quando nos deixamos influenciar por alguém estamos oferecendo àquela pessoa o privilégio de fazer parte da nossa vida, como se ela ajudasse a construir quem somos.

E não adianta dizer que você não se deixa influenciar por ninguém, é mentira! Quantas vezes você não se pegou falando uma gíria que seu amigo usou e você achou interessante? Quantas vezes você só foi a algum lugar porque outra pessoa ia? Ou mesmo escolheu sua profissão espelhado em alguém?

Não é errado se deixar ser inspirado por alguém, a questão é a quem você tem dado este direito? Será que este privilégio tem sido de Deus ou de outras pessoas?

Leia estas passagens tiradas da Bíblia:

“Eu fui arrebatado no Espírito no dia do Senhor, e ouvi detrás de mim uma grande voz, como de trombeta, ”
Apocalipse 1:10

E os teus ouvidos ouvirão a palavra do que está por detrás de ti, dizendo: Este é o caminho, andai nele, sem vos desviardes nem para a direita nem para a esquerda.
Isaías 30:21

E levantou-me o Espírito, e ouvi por detrás de mim uma voz de grande estrondo, que dizia: Bendita seja a glória do SENHOR, desde o seu lugar.
Ezequiel 3:12

Sabe de quem é esta voz que fala por detrás? É a voz do Espírito Santo. Ele quer ter este privilégio de te influenciar nas suas decisões, porque Ele sabe qual é o melhor caminho para você.

Mas porque estes trechos se referem a uma voz que fala por detrás? Simples, o Espírito Santo não impõe nada a ninguém, Ele apenas indica, ou propõe o melhor caminho a seguir. Por isso, Ele fala por detrás e não à sua frente, para não interferir na sua escolha.

E aí, quem você quer ouvir? A escolha é sua.

Aliás, um detalhe: se você não sabe a quem você tem dado ouvidos, olhe para suas atitudes, logo você vai enxergar com quem você tem parecido.

Fé: Como e onde conseguir?

Todos nós temos a capacidade de ter fé: é inerente ao ser humano. Acontece que devido a algumas situações na vida da gente esta capacidade fica limitada pelas dúvidas, medos, inseguranças que surgem como uma grande nuvem negra tapando o sol da esperança e da fé.

Quando estamos cegos, e tudo à nossa volta é contrário, onde é possível renovar aquela fé inocente e pura, que carregávamos no início da caminhada?

Existe um segredo para isto, que só quem pensa pode conseguir. Aliás, a fé é algo que vem da mente, e não do coração como muitos pensam. Não precisamos sentir nada para ter fé, precisamos apenas ter certeza de que o que acreditamos vai se realizar.

Por exemplo, uma pessoa está doente e sente constantes dores mas quer a cura. Se ela tem uma fé sólida e pura, mesmo que seu objetivo não se realize imediatamente, ela não deixa de acreditar que vai se livrar da sua doença mesmo que a dor insista em aparecer.

Uma jovem que sonha em conhecer o amor da sua vida e construir uma família. Mesmo que isto esteja demorando (aos seus olhos) e ela se sinta sozinha muitas vezes, ela tem certeza que um dia isto irá acontecer e vai encontrá-lo, não o príncipe encantado da historinhas, mas um homem de caráter, com defeitos, mas disposto a encarar o desafio de construir um relacionamento juntos.

Talvez, ao ler estes exemplos você pense: “pois é, eu já fui assim, mas luto há tanto tempo contra esta doença que já não vejo mais saída e nem acredito mais na cura, quero acreditar mas não consigo.”

“Eu já me desiludi tantas vezes com pessoas que acreditei serem de caráter, que hoje não consigo crer que há alguém assim no mundo, quero crer, mas minha experiência não deixa”

Você precisa conseguir fé.

Vou te ensinar um segredo especial, um local acessível a todos, absolutamente todos que pensam, não os que sentem, mas pensam, agem com a razão (porque  ter fé requer isso). Mas esteja pronto, talvez você já sabia onde conseguir fé mas já não se lembra mais.

O segredo está no final deste post.

De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela Palavra de Deus. Rom 10:17

Amar a Deus acima de tudo

Hoje aprendi algo que pode mudar o mundo de quem quer mudar o mundo e trabalha para isto.
Lendo o livro do autor Bob Sorge, ‘Segredos do lugar secreto’ aprendi que nem sempre colocamos em primeiro lugar nas nossas vidas quem realmente merece e, às vezes, confundimos seus dois maiores mandamentos:
1. Amarás o senhor Teu Deus de toda tua alma
2. Amarás o próximo como a ti mesmo
Nós, que procuramos amar ao próximo, muitas vezes, sem perceber, colocamos este “fazer” na frente do primeiro mandamento, e por isso, enfraquecemos e até mesmo perdemos o ministério. Mas como isso acontece?


O autor usa a metáfora de abastecer o carro. Ele diz que vai ao posto de gasolina “abastecer” porque é obrigado, mas o que ele na verdade gosta é de “dirigir”. Quando perdemos o foco, não buscamos mais a Deus por amor à sua Presença, mas para nos “abastecer” e “dirigir” nosso ministério, ou fazermos pelos outros, apenas vamos até Deus para nos “abastecer” quando na verdade Ele quer intimidade, comunhão, amor sincero.
Bob Sorge se refere ao livro de Apocalipse:
“Conheço as tuas obras, e o teu trabalho, e a tua paciência, e que não podes sofrer os maus; e puseste à prova os que dizem ser apóstolos, e o não são, e tu os achaste mentirosos.
E sofreste, e tens paciência; e trabalhaste pelo meu nome, e não te cansaste.
Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor.”  Apocalipse 2:2-4
O primeiro amor da nossa vida tem que ser Deus. Perceba que a igreja de Éfeso não abandonou a obra, mas deixou seu primeiro amor, deixou de estar diante de Deus para amá-lo, apenas fazia sua obra, colocou o segundo mandamento em primeiro lugar.
Não vamos continuar a fazer isto! Precisamos ser conhecidos por Deus para sermos salvos, afinal, não são os que O conhecem que serão salvos, mas sim aqueles que são conhecidos por Ele!
“Senhor, Senhor, abre-nos. E ele, respondendo, disse: Em verdade vos digo que vos não conheço.” 
Mateus 25:11-12
Portanto, vá agora para um lugar secreto e busque-O, que em secreto vocês vão se encontrar.
“Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente.” Mt 6:6

Não ler a bíblia por um mês

Não ler a Bíblia por um mês?

Essa foi a ideia maluca lançada sobre a mesa durante nossa reunião de pastores e obreiros um par de noites atrás. Nós estávamos falando sobre como as pessoas de quem lemos na Bíblia não tinham a Bíblia para ler todos os dias, nem igreja para frequentar toda semana, e muitos como Abraão e Noé e José não tinham sequer um profeta para orientá-los.

E ainda assim, eles se saíram muito bem no departamento da fé.

Em contraste, apesar de que hoje as pessoas têm acesso a todo tipo de apoio espiritual e recursos cristãos, ainda assim a fé delas é tão fraca e confusa.

A diferença é simples:

As pessoas de fé da Bíblia eram praticantes do pouco que sabiam sobre Deus. Mas as pessoas que carregam a Bíblia hoje em dia estão apenas engordando com o conhecimento dela, o qual não exercitam.

Então a surgiu a ideia, que afinal não parece tão louca assim:

E se você decidisse não pegar na sua Bíblia durante um mês e, ao invés de lê-la, apenas colocasse em prática o que você já conhece dela mas ainda não pratica?

Os resultados poderiam surpreendê-lo…

P.S. Quer irritar alguns religiosos? Espalhe essa mensagem por aí e se prepare para as reações…

Bp Renato Cardoso

O problema está na raiz…

Muitas vezes lutamos contra algo por muito tempo sem sucesso. Buscamos a solução em diversos lugares, de todas as formas, fazemos tudo o que nos dizem para fazer: e nada!

Quando você se depara com algo assim, é certo que há uma raiz, uma origem, um ponto que mantém alimentando este problema. E este mal está na raiz. Mas onde está a raiz?

Está em você. Sim, você é a raiz. Não, você não é o problema. Mas a solução para ele está em você. Basta olhar bem fundo e você vai encontrar s raiz deste mal. Às vezes está em algo guardado do seu passado, às vezes pode estar em uma mágoa, um ressentimento, um arrependimento, uma atitude errada que gerou consequências. Enfim, pode estar em algum lugar, em você.

Agora que você já sabe disto, não é bom permanecer com esta raiz ruim ou com um problema na sua raiz. Vamos cortar o mal pela raiz! Agir contra isto e lutar.

Quer saber como vencer este problema?

Quer saber qual é a sua raiz má ou onde na sua raiz está o problema?

Então te dou uma dica:

Cenáculo do Espírito Santo.

Acesse: http://www.iurdtv.com

Descubra ali como encontrar esta raiz.